quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Ficha de Avaliação de Português

 Apaixonado pela vida, pelas estrelas, pela Lua, pelo Sol, e pelos planetas. As pessoas viviam a pensar que ele, de tanto olhar para o céu, vivia mesmo era no mundo da Lua! Mas a verdade é que a sua cabecinha não parava de pensar, e o que ele gostava mesmo era de inventar. Lançar o papagaio, para ele, era um dos seus maiores prazeres. E a brincar, ele estudava o céu. Mas quando não tinha a lua cheia e a escuridão tomava conta de tudo, lançar o papagaio não tinha a menor graça. Numa dessas vezes, parou para pensar e teve outra das suas grandes ideias. Pegou num papagaio e nele amarrou uma lanterna. Devagarinho foi empinando, empinando até que só conseguia ver aquele pontinho de luz que fazia mil piruetas pelo céu fora. E ele achou lindo! Mas os vizinhos, que não sabiam desta sua experiência, começaram a gritar, cor- rendo para todos os lados, achando que aquela luz do céu era um cometa que estava a cair! Até explicar tudo, foi uma grande confusão. E, assim, Newton foi crescendo em volta dos estudos, experiências e descobertas. Para conseguir observar as estrelas, que tanto apreciava, Newton acabou por inventar o telescópio, que foi muito útil para conhecer melhor o movimento dos planetas e o sistema solar. Ele costumava passar horas no jardim a fazer bolhas de sabão. Os vizinhos, que já o conheciam, achavam que ele era mesmo maluco, andando para lá e para cá, não tirando os olhos daquelas bolhinhas. Mas, de tanto olhar para o colorido delas – que vinha do Sol – ele acabou por descobrir que a luz solar é composta pelas cores do arco-íris. PENSAR. Esta era a sua palavra mágica! E foi assim que ele fez a grande descoberta da sua vida…